Conhea a Associo Clube do Carro Antigo do BrasilLogin




Conheça o Delahaye 135

Conheça o Delahaye 135

Antes da Segunda Guerra Mundial, em 1939, os automóveis eram caros e exclusivos. Cada detalhe da carroceria, acabamento e motorização poderia ser customizado conforme o gosto do seu cliente.

Os carros de Emile Delahaye pertencem a este legado, e o modelo 135 é a tradução absoluta da aerodinâmica e a exclusividade sobre rodas.

O modelo 135 foi construído sobre um chassi conhecido como Competition Court, usado em carros de corrida da época. Como a marca Delahaye era conhecida entre os pilotos, a idéia era oferecer um carro que tinha desempenho esportivo com um design muito avançado.

Exclusivo desde o projeto

Nas pranchetas de Joseph Figoni nasceu o desenho do modelo 135. Inspirado na velocidade e na forma de uma gota d’água, o novo carro trazia inovações como fendas em formato de bumerangue, em toda a carroceria. As tomadas de ar, grade e também os faróis se integravam de maneira perfeita ao desenho do carro.

Delahaye 135Os pára-lamas, grandiosos na dianteira e mais contidos na traseira, escondem as quatro rodas guarnecidas por uma peça cromada que mais parece um arpão.

Outra inovação ficava por conta da ausência do estribo (comum nos carros da época, para apoiar os pés no embarque e desembarque). No Delahaye 135, o estribo se integrava aos pára-lamas.

O modelo também trazia pára-brisa escamoteável, para ser usado nos dias de verão, e teto solar deslizante, diferente dos modelos que tinham apenas uma tampa superior para auxiliar na ventilação ou ainda do sistema retrátil, feito em couro apoiado por um trilho, que era usado nos modelos mais simples.

O motor usado era um seis cilindros em linha, 3,5 litros, com câmbio manual de quatro marchas, que chegava a 100Km/h em dez segundos, o que significava um excelente desempenho para a época.


Início ou fim do Delahaye 135?

O primeiro a encomendar um Delahaye 135 foi o empresário parisiense Mr. Jeancart, um aficionado por corridas, que ficou atraído pelo estilo extravagante do carro. Depois dele, outros carros foram montados como modelo 135, porém com acabamentos diferenciados, e nenhum outro recebeu a combinação da cor preta com as peças cromadas, como o exemplar de Jeancart.

Em 1936 o industrial foi buscar o carro na cidade de Tours, onde funcionava a fábrica da Delahaye. Jeancart venceu o Grand Prix de 1936 a bordo do seu novo automóvel e nos anos seguintes, a notoriedade ajudou a impulsionar as vendas do modelo 135, que poderia ser encomendado como conversível, com faixas coloridas (e não mais cromadas) e até em combinação de cores claras, o que era visto como inovação na época.

Delahaye 135No dia 10 de maio de 1940, após a invasão da França pelas tropas nazistas de Hitler, a Delahaye foi forçada a fechar suas portas para encomendas particulares. Na época, os carros da marca eram muito cobiçados já que desde 1936, vários pilotos venceram o Grand Prix pilotando veículos Delahaye.

No ano da ocupação, foram construídos mais de 100 carros para o governo francês. A produção só voltaria em 1945, inclusive o 135 em outras configurações de cores, acabamento e motorização, e duraria até 1954, quando o governo criou altos impostos para os carros de luxo, o que inviabilizou sua produção.

Alguns anos depois, Jeancart vendeu seu esportivo, bem como os outros carros de sua coleção. Até 1981, o exclusivo Delahaye 135 preto com peças cromadas teve vários donos e diversos motores, quando foi adquirido por um colecionador e finalmente restaurado na oficina Hill & Vaughn (hoje chamada Glenn Vaughn), em Rhode Island, nos Estados Unidos.

Anos depois foi novamente restaurado pela Patterson Collection, onde recebeu finalmente seu motor original de seis cilindros, e por fim, recebeu mais um tratamento na Blackhawk Collection, em Danville, Califórnia, no início do século XXI.

Em 2006, o pioneiro Delahaye 135 ganhou o concurso de Peeble Beach, e hoje pertence a um anônimo colecionador. Outros Delahaye foram transformados em hot rods, e alguns ainda participam de encontros de carros antigos, principalmente na Europa, onde já foi um dia o carro esportivo dos sonhos.

Publicado em: 6/12/2010
Fonte: Webmotors.com.br

Compartilhe com seus amigos:

Voltar para Página Anterior:

42





Ônibus para Locação
Ônibus para Locação


Mercado Livre




Associe-se
Rede de Benefícios


Anuncie Grátis

Área do Anunciante
Classificados
Eventos
Notícias
Eventos CCA
CCA na Mídia
Dúvidas e Sugestões
Veículos para Locação
Veículos Antigos Roubados
Indique

Facebook Clube do Carro Antigo

Siga-nos no Twitter

Volkswagen, Brasilia, 1600, 1974, Marrom Caravela
Volkswagen, Fusca, 1974, Preta
Chevrolet, Opala, Comodoro, 1985, Branca
Volkswagen, Brasília, Luxo, 1978, Caramelo

Locação de veiculos antigos para eventos, publicidade, fotografia








----------------

Logos dos Apoiadores